História da Cidade de Abadia de Goiás
26/05/2016 - 9h00 em Documentários

História da cidade de Abadia de Goiás

Quem sai de Goiânia para Rio Verde pela BR 060, entre os quilômetros 13 e 14, deparam com um lugar agradável. Este lugar é a cidade de Abadia de Goiás. Até a sua emancipação, parte de Abadia era um distrito de Goiânia e parte era do município de Trindade, isto porque a principal avenida dividia os dois municípios. Nessa época sua população era maioria da zona rural com excelente produção de hortaliças, tais como abobrinha, jiló, quiabo, maxixe e outros.

            Os limites deste município encontram-se distribuídos da seguinte maneira: A Leste, Goiânia, a Oeste, Guapó, ao Norte, Trindade e a Sul, Aragoiânia.

            Em 1956, chega a essa região uma família composta por quatro pessoas: Paulino Inácio Rosa, seu filho Inácio Rosa com sua esposa Salma Jorge Rosa e seu filho Alberto Inácio, ainda criança. O senhor Inácio Rosa, popularmente conhecido por Badico Rosa, foi submetido a uma cirurgia no Rio de Janeiro e sua mãe fez uma promessa para Nossa Senhora da Abadia, a qual chama de madrinha, de construir uma capela em seu nome. Ao conhecer o local que hoje é Abadia de Goiás, acharam que o lugar era ideal.

            Compraram um terreno aqui com 24,200m2, do Senhor Manoel Libânio da Silva e fizeram um rancho para morar e montar uma pequena vendinha com a finalidade de atender os boiadeiros que passavam pela BR 060.

            Passaram-se três anos até que conseguiram comprar mais 27,225m2 de terra. Nessa época o Sr. Paulino veio a falecer, mas Badico continua firme na promessa de construir a capela.

            Em julho de 1960, o Senhor Badico e dona Salma foram falar com o bispo que os aconselhou a realizar novenas para Nossa Senhora da Abadia, a fim de angariar recursos para a construção da capela. Em agosto desse mesmo ano, foi construído um rancho no terreno comprado por eles, para que se realizasse a novena, que teve a duração de três anos, no rancho, conseguindo assim renda suficiente para o começo da tão sonhada igreja. O bispo da época, Dom Fernando, autorizou a construção da igreja, porém era necessário um terreno maior. Então o Senhor Manoel Libânio doou uma parte do terreno e a igreja pode ser construída.

            O lançamento da pedra fundamental foi no dia 10 (dez) de março de 1963 e a inauguração da igreja no dia 15 (quinze) de agosto, com a chegada da imagem de Nossa Senhora da Abadia.

            Em 1961 o Senhor Manoel Libânio loteou um pedaço de suas terras dentro do município de Trindade. Esse loteamento recebeu o nome de Vila Goiany, onde também foi doado um terreno neste loteamento onde foi construída uma escola, que hoje tem o nome de Colégio Estadual Manoel Libânio da Silva, em sua homenagem.

            Quando o Senhor Badico construiu a igreja, ainda lhe restou um pedaço do terreno, onde o mesmo fez um loteamento no município de Goiânia, com 66 (sessenta e seis) lotes que foi aprovado em 20/03/1964, dando-lhe o nome de Abadia de Goiás.

            No ano de 1968, o Senhor Gorgônio Alves Forte, loteia uma área no município de Goiânia. Esse loteamento recebeu o nome de Vila Nossa Senhora da Guia.

            No ano de 1987 o Senhor Dorival Libânio da Silva loteou um terreno no município de Trindade que recebeu o nome de Parque Isabel, com 503 (quinhentos e três) lotes e 15 (quinze)chácaras.

            No ano 1996, o Senhor Salviano Cesário da Silva loteou um terreno no município de Trindade com 96.800m2, com 136 (cento e trinta e seis) lotes, onde recebeu o nome de setor Dom Felipe.

            Até o ano de 1976, nesse povoado não tinha energia elétrica.

            No dia 16 (dezesseis) de maio de 1982 passa a correr ônibus coletivo ligando Goiânia a Abadia de Goiás. Antes disso os ônibus que passavam por aqui eram apenas os de Guapó, Palmeiras, Varjão e outros.

            No ano de 1987, com o acidente radiológico do Césio 137 em Goiânia, é instalado nas proximidades da cidade de Abadia de Goiás, o depósito provisório do lixo radioativo. A população local protestou, mas de nada adiantou. No local do depósito provisório dos rejeitos do césio 137 foi instalado um moderno Centro de Pesquisas Radiológico que hoje é referência mundial. Sua inauguração deu-se no dia 05/06/1997.

            No início do ano de 1990, grande parte dos setores existentes na cidade de Abadia de Goiás é asfaltada. E já em 1992 são instalados os primeiros telefones comerciais e residenciais. No mesmo ano de 1992, foi cedida pela prefeitura da cidade de Trindade - Goiás, uma cadeira de vereador na Câmara Municipal para disputar as eleições, tendo quatro candidatos concorrendo a essa vaga para representar a cidade de Abadia de Goiás, sendo eleito o Senhor Hildebrando Cardoso Lourenço.

Em março do ano de 1994 chega água tratada para o povoado (SANEAMENTO DO ESTADO DE GOIÁS S/A), ate então, todos os moradores usavam cisternas.

No ano de 1995, a prefeitura de Goiânia, cria na cidade de Abadia Goiás uma subprefeitura, nomeando o Senhor Adaflor Rodrigues do Nascimento, morador do Município, para ser o subprefeito na cidade, por ser também do mesmo partido do atual prefeito de Goiânia, na época. Essa subprefeitura administrou o município de Abadia de Goiás ate o ano de 1996, quando se realizou a primeira eleição na cidade de Abadia de Goiás, para escolha do primeiro prefeito (a) e dos nove vereadores que iriam compor o Poder Legislativo da cidade.

Com a aprovação da emancipação política, através de um plebiscito, realizado em 12 (doze) de outubro de 1995, onde os moradores do Município Abadia de Goiás votaram a favor de que a cidade fosse independente, deixando de ser governada por duas cidades: Trindade e Goiânia, dividindo no limite do Município pela Avenida Comercial da cidade de Abadia de Goiás, ou seja, de um lado era administrado pela prefeitura de Trindade e do outro lado pela prefeitura de Goiânia.                

Em 27/12/1995, o Governador do Estado Luiz Alberto Maguito Vilela, sancionou a Lei de criação do novo Município sob o numero a lei n°12799/95, desmembrando dos municípios confrontantes: Aragoiânia, Trindade, Guapó e o município mãe – Goiânia, totalizando a área territorial em 146,458 Km², segundo dados do IBGE.

 Lei essa que teve sua implantação em 01/01/1997, com a posse da 1ª prefeita Maria Telma Miranda Ortegal e dos nove vereadores: Salvador Ludovico de Almeida Neto, Lindauro Ferreira da Mata, Josué Cardoso da Cruz, Valma de Oliveira Fideles Freitas, Ademir Fernandes Canedo, Luiz Ângelo de Urzeda, Welinton Antonio da Silva, Joaquim Cardoso Lourenço e Sebastião Salviano Mendonça. Eleitos nas eleições em 03 (três) de outubro do ano de 1996. A Prefeita Maria Telma Miranda Ortegal administrou o município até 12 (doze) do mês de junho do ano de 1996, data em que veio a falecer, vítima de infarto fulminante em uma viagem ao Estado do Paraná. Devido a essa fatalidade, toma posse no dia 16/06/1996, o seu vice-prefeito Valdeci Salviano Mendonça, passando a ser o prefeito da cidade, finalizando o seu mandato no ano de 2000. Candidatou-se novamente se reelegendo para um novo mandato no ano de 2001.

            Com a vinda do Césio 137 para o distrito de Abadia de Goiás a produção de hortaliças acabou sendo prejudicada com a discriminação que sofreu. E hoje, depois de muitos anos não é feita nenhuma divulgação da construção do depósito definitivo gerado do acidente com o césio 137.

            Com a emancipação política de Abadia de Goiás, vários benefícios foram criados em favor da população: escolas, hospital, praças, indústrias, etc.

            Falando um pouco mais das escolas do Município, são cinco escolas municipais: Escola Municipal Paulino Inácio Rosa, Escola Municipal Neli Antônio dos Santos, Escola Municipal Vital Luiz da Costa, Escola Nossa Senhora do Perpetuo Socorro e Escola Municipal Hildebrando Cardoso Lourenço. Contando com aproximadamente 1.460 (mil quatrocentos e sessenta alunos) e 87 (oitenta e sete) professores efetivos, atuando e 22 (vinte e dois) professores contratados (fonte da Secretaria Municipal de Educação).

            As escolas do município contam com laboratório de informática, sendo cerca de dezessete computadores por escola, utilizados no aprendizado dos alunos.

            O município de Abadia de Goiás conta também com a Escola Estadual Manoel Libânio da Silva, a qual também possui um laboratório de informática, mas com menos computadores, são cerca de dez, em amplo funcionamento. Todos esses computadores são direcionados para pesquisas, digitação de trabalhos escolares, enfim para inovação das aulas do professor.

            A escola estadual conta com 21 (vinte e um) professores regentes, 11 (onze) não regentes. E 573 (quinhentos e setenta e três) alunos, sendo 194 (cento e noventa e quatro) do ensino fundamental e 379 (trezentos e setenta e nove) do ensino médio.

            Enfim ser cidadão abadiense, nas palavras do Doutor Paulo Teles: “é ter o privilégio de andar descalço ou navegar nos seus 94 (noventa e quatro) km de córregos que banham suas abençoadas terras: é ser cortado em Poções de felicidades; ver com Olho D’Água a Serrinha imponente no horizonte; é saltar feliz como um coelho as pedras ou pedreiras dos seus leitos; é ver o Sumidouro sendo por mim cortado feliz como uma criança em tarde domingueira, banhando no Bocaina. Ser cidadão abadiense é ser jovem e estudante, para usufruir da moderna iluminação da quadra de esporte da Vila Socorro; è desfrutar do conforto da extensão asfáltica da Avenida Comercial; é passear tranquilo sob as luzes das Avenidas Comerciais: José Pedro da Costa, Francisco Paiva da Silva e José Mendonça. È buscar lazer na praça que fica ao lado da prefeitura ou na do Conjunto Arco Íris. Ser Abadiense, acima de tudo é dar um magistral exemplo para o mundo, do que seja possuir espírito de renuncia. È possuir espírito superior e não temer o medo. È ter um rasgo de grandeza cívica e ceder o seu solo para agasalhar os rejeitos do maior acidente radiológico do mundo. Nunca é demais recordar que enquanto o Brasil inteiro se omitia no socorro e solidariedade quanto aos resultados dos efeitos danosos do acidente do césio, Abadia de Goiás surgiu altaneira tal qual a mãe que se apresenta pressurosa para acudir seus filhos carentes. Pois foi num gesto de solidariedade, afeto e amor, que esta cidade abriu as suas portas, cedeu seu terreno e deixou cravar nas suas entranhas os alicerces do deposito que viria acomodar os rejeitos radiológicos. Do seu solo viriam brotar as magníficas instalações que servem de laboratório e campo de estudos para a prevenção e gestão de futuros acidentes nucleares. Evidenciada ficou a capacidade da população de Abadia de Goiás em superar obstáculos e hipotecar solidariedade aos desamparados. ABADIA DE GOIÁS NASCEU PRESESTINADA PARA SER GRANDE, VENCER, SUPERAR DIFICULDADES E FAZER-SE DE EXEMPLO PARA O BRASIL. A sua origem deriva dos ideais de homens e mulheres que souberam traçar o próprio destino, desafiando obstáculos. O seu marco inicial surgiu da vontade férrea dos FORTE, dos QUEIROZ, dos OLIVEIRA, dos CARVALHO, dos GALVÃO e de tantos outros que por aqui aportaram nos primórdios do que era apenas uma fazenda de terras devolutas. Na condição de povoado, teve a sua primeira casa construída por Paulino Inácio Rosa em 1956. Antevendo o progresso que aguardava esta cidade, Badico, filho do Paulino, instalou aqui o primeiro comercio e implantou o primeiro loteamento. Pretendeu-se dar ao povoado o nome de Abadia dos Dourados, em razão do Ribeirão Dourados. Entretanto, por força da devoção do Badico, foi aprovado o nome ABADIA, que ele considerava sua madrinha, cuja igreja foi inaugurada em 1963. Cidade crescendo e progresso chegando. Aí Badico construiu o primeiro clube da cidade em 1964. Mas os pioneiros queriam mais, e em 27/12/1995 foi o povoado elevado à categoria de Município e desmembrado de Aragoiânia, Trindade, Guapó e Goiânia, tornando-se politicamente emancipado. O aniversário da cidade é celebrado em 29 (vinte e nove) do mês de março”.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!